Navegação Sem Papel, o ECDIS como ferramenta

Há apenas 15 anos atrás, os navegadores teriam ridicularizado a ideia da Navegação Sem Papel em grandes navios transoceânicos. Afinal, desde séculos, as cartas náuticas impressas eram o coração e a alma da navegação nos navios. Imaginar que chegaria um dia em que não as teríamos mais a bordo era uma blasfêmia.

Todo oficial de navegação que está no mar "por tempo suficiente" ainda lembra com carinho em quantos navios a sua preciosa Caneta de Correção de Cartas foi necessária. No entanto, o impensável aconteceu. A transição começou lentamente com embarcações menores, como as de esporte e recreio, rebocadores e iates. Mas agora, obrigados pela IMO a obrigatoriamente instalar um ECDIS, os grandes navios, como os super-petroleiros e os gigantescos porta-contêineres, também estão singrando sem problemas, sem as cartas náuticas impressas. Quem é responsável por essa mudança? Bem, não é outro senão o Sistema de Exibição e Informações de Cartas Eletrônicas, também conhecido como ECDIS.

Embora um pouco tendenciosos em relação à navegação nas cartas náuticas impressas da velha escola, não podemos negar o fato de que o ECDIS possui vantagens sobre as cartas náuticas impressas. Vamos então discutir alguns dos prós e contras da navegação sem papel.

OS PRÓS

1. Disponibilidade: Uma das grandes vantagens do ECDIS sobre as cartas náuticas impressas é a disponibilidade das cartas náuticas eletrônicas - especialmente quando as ordens para viagens são recebidas no último minuto. Longe vão os dias quando um Primeiro Oficial de Náutica se amontoava no bom e velho catálogo de cartas náuticas para determinar quais as cartas exigidas para a viagem. Isso era seguido pela árdua tarefa de pedir essas cartas e esperar que elas chegassem a tempo. Na maioria das vezes, isso provou ser um grande desafio, especialmente nas operações como "tramper", que tende a receber as ordens para viagens na última hora. Com os navios ficando sem as cartas náuticas impressas, tudo o que o Primeiro Oficial de Náutica precisa fazer agora é traçar uma derrota aproximada no planejador de viagem e uma lista de todas as cartas náuticas impressas é preenchida. O Comandante então envia essa lista por e-mail ao fornecedor de cartas náuticas, que então fornece os códigos de ativação para essas cartas náuticas. Uma tarefa que, com habilidade e prática exigia horas, agora leva alguns minutos.

2. Velocidade e Precisão: Com o ECDIS como a principal fonte para a navegação, o Oficial de Navegação pode planejar e resumir a trajetória muito mais rápido do que nas Cartas Náuticas Impressas. A maioria das unidades ECDIS possui uma unidade para onde os waypoints podem ser importados no formato MS Excel, o que reduz o esforço de inserir manualmente os waypoints ao compilar o Plano de Viagem. Os dados dos relatórios diários, tais como Distância a Percorrer, Distância Percorrida, Velocidade Média, etc. podem ser rapidamente obtidos com quase nenhum esforço.

3. Correções: Antes do advento da navegação sem papel, a maior parte do tempo de trabalho de um Oficial de Navegação era consumida na Correção das Cartas Náuticas. A correção das cartas cartas náuticas com velocidade e precisão era uma habilidade que demorava muito tempo para ser dominada. Mesmo assim, ainda havia a possibilidade de correções errôneas ocasionais. Os Avisos aos Navegantes Temporários e Preliminares (T&P) eram especialmente tediosos, pois vinham sem rastreamento e exigiam a manutenção de uma pasta espessa. Manter a coleção de cartas náuticas do mundo inteiro era uma questão de orgulho , com muito direito para alguém se gabar. Tudo isso mudou com a navegação sem papel. O Oficial de Navegação agora recebe atualizações semanais das Cartas Náuticas Eletrônicas via Email, o qual deve ser baixado para uma unidade zip e então carregar as atualizações no ECDIS. Até os temidos avisos aos navegantes T&P são agora exibidos eletronicamente no ECDIS.

4. Monitoramento Contínuo da Posição do Navio: Uma das maiores vantagens do ECDIS sobre as cartas náuticas impressas é a sua capacidade de permitir que o usuário veja a posição do navio em tempo real sem qualquer ação de sua parte. O ECDIS é conectado aos receptores GPS independentes do navio, fazendo com que o sistema funcione mesmo que haja a falha de um deles. Contudo, todos sabemos que os sinais GPS podem não ser confiáveis e ocasionalmente estão propensos a erros. Este problema pode ser superado pelo uso do recurso Sobreposição da Imagem Radar e de Referência de Eco no ECDIS e Radar. Os Radares precisam estar conectados com o ECDIS para isso. Feito isso, o usuário precisará ativar a aba Sobreposição no ECDIS, o que fará com que a Tela do Radar seja sobreposta no ECDIS. Ao verificar se o Eco do Radar está em conformidade com a tela do ECDIS, pode-se ter a certeza de que as posições são confiáveis.

Outro recurso que permite o monitoramento contínuo da posição, especialmente durante a navegação costeira, é o Referenciamento por ECO do ARPA. Isso é feito pela captura de um alvo fixo / estacionário, tal como uma pequena ilha, farol, rocha, etc. no Radar (ARPA) e então ativando a aba ARPA no ECDIS. A próxima etapa é desmarcar a Fonte Secundária de Posição no ECDIS como GPS e selecionar Referenciamento por Eco (Echo Reference) no seu lugar. Uma vez habilitado, isso fornece ao usuário a indicação visual das trajetórias percorridas de ambos os modos de determinação da posição, o Primário (GPS) e o Secundário (Referência por Eco).

Finalmente, também é possível os Anéis de Distância e as Marcações do Radar para plotar posições na tela do ECDIS, assim como nas cartas náuticas impressas. Atualmente, todos os tipos de ECDIS vêm com a opção de plotagem manual da posição utilizando o método Marcação / Distância. Deve-se simplesmente obter a marcação e distância de um objeto disponível no radar e plotá-lo no ECDIS pelo uso da função Marcação / Distância (ERBL) do próprio ECDIS. Na terminologia do ECDIS, isso é chamado de Linha de Posição (LOP). Um texto com a hora é impresso na tela do ECDIS com a posição GPS e a LOP. Isto serve como uma rápida indicação de qualquer defasagem entre as posições do GPS e do Radar.

5. Alarmes e Configurações Anti-Encalhe: Embora o ECDIS tenha já evoluído como fonte primária completa para a navegação, ele nasceu como um Auxílio Anti-Encalhe à Navegação. Até hoje, a capacidade do ECDIS em alertar o usuário sobre a aproximação de águas rasas o torna um dos equipamentos mais úteis no passadiço. O usuário tem total flexibilidade para definir essas configurações de segurança no ECDIS. A maioria das empresas terá rígidas diretrizes sobre as configurações dos parâmetros de segurança mínimos. No mínimo, as informações a seguir servem como diretriz geral.

Quadro de Segurança (Antecipação): Essa é a configuração que soará um alarme se o navio estiver dentro do limite especificado. Geralmente, deve ser definido como não inferior a 10 minutos em mar aberto, dependendo da velocidade do navio. Esse tempo pode ser reduzido em águas costeiras com base na situação.

Contorno Raso: Essa configuração indica a área não navegável e marca o limite fora do qual o navio pode navegar com segurança. Atravessar esse limite resultará no encalhe do navio. Geralmente é indicado por uma Cor Azul Profundo que marca a área não navegável. Normalmente é definido como um valor igual ao maior calado atual do navio (sem levar em conta o efeito squat ou o pé de piloto - UKC no seu cálculo).

Profundidade de Segurança: Isso marca e realça a profundidade mínima para que o navio permaneça flutuando em segurança. Como regra geral, a Profundidade de Segurança = Maior Calado Estático + Squat Previsto + Mínimo UKC da Companhia.

Contorno de Segurança: De maneira geral, o Contorno de Segurança pode ser definido como igual, mas não inferior à Profundidade de Segurança configurada. As águas com profundidades inferiores ao Contorno de Segurança deverão ser construídas como Área de Tráfego Proibido (No-Go Area). O Comandante pode definir o Contorno de Segurança para um valor maior do que a Profundidade de Segurança se ele determinar que uma lazeira adicional na profundidade será necessária, dependendo das circunstâncias e condições predominantes. Indicado por uma área Colorida com Cinza no ECDIS.

Contorno Profundo: Essa configuração é muito útil para navios envolvidos em operações como a Limpeza de Tanques ou a Troca da Água de Lastro, onde é obrigatório realizar tais operações em águas que excedam uma determinada profundidade. O navio que não estiver envolvido nesse tipo de operação pode definir esse valor como apropriado, mas, em qualquer caso, não deve ser menor do que o Contorno de Segurança. Indicado por uma área colorida com a cor branca na tela do ECDIS.

6. Configurações de Alarme Definidas pelo Usuário: Embora existam certos alarmes críticos de segurança que são ativados (ON) por padrão e não podem ser alterados, há uma série de outros alarmes e alertas que podem ser ativados ou desativados pelo Usuário, dependendo da situação. Deverá ser exercida prudência ao ativar / desativar alarmes e alertas. Muitos alarmes podem resultar em Surdez de Alarme e poucos alarmes pode resultar em um falso sentimento de Segurança. É de extrema importância que o Oficial de Quarto de Navegação esteja totalmente familiarizado com todos os Alarmes e Alertas que tenham sido ativados. Na passagem de serviço, uma lista de verificação (checklist) dos alarmes e alertas deverá ser preenchida antes da rendição. Antes de assumir o quarto de serviço, é essencial anotar quais alarmes / alertas já existem.

7. Aprimora a Capacidade de Busca e Resgate a Bordo: As modernas unidades ECDIS possuem a opção para conexão do NAVTEX e EGC com a tela do ECDIS. Os Avisos e Alertas são automaticamente exibidos na tela do ECDIS, ao mesmo tempo em que fornecem uma indicação sonora e visual na própria unidade. Marcações e Distâncias rápidas são obtidas pela função ERBL (Linha Eletrônica de Distância e Marcação). Isso permite que o usuário determine rapidamente se o navio em posição de prestar ajuda à embarcação que está em dificuldades.

A unidade ECDIS também possui a função MOB (Homem ao Mar), que pode ser ativada no caso de uma pessoa cair ao mar. Isso marca a posição / horário que é usado como referência para o Recolhimento e Resgate.

8. Custo x Benefício: Embora as Cartas Náuticas Eletrônicas não sejam de forma alguma baratas, elas ainda têm uma vantagem sobre as impressas, real por real. As licenças das Cartas Náuticas Eletrônicas são obtidas eletronicamente com o uso mínimo de dados. As cartas náuticas impressas, no entanto, precisam ser entregues fisicamente, o que envolve taxas de manuseio pelos agentes, especialmente se pedidas no último minuto. Em raras ocasiões, o navio teve que desviar apenas para pegar cartas náuticas impressas se a viagem foi alterada no último minuto. Isso envolveu custos enormes, como taxas do Agente, despesas com Embarcações, etc. Tudo isso poderia ser evitado com o uso das Cartas Náuticas Eletrônicas.

9. Ambientalmente Correto: Lembra-se de ter que descartar todas as cartas náuticas impressas obsoletas, quando muitas das quais nunca foram usadas? Agora imagine centenas e milhares de navios fazendo a mesma coisa. Sem mencionar a quantidade fenomenal de papel que é usado para imprimir os Avisos aos Navegantes, Preliminares, Temporários e Permanentes. Isso não acontece com o ECDIS. O ECDIS tem um grande impacto na redução da pegada de carbono de todos os navios que passam a trabalhar sem papel.

Agora nem tudo pode ser bom, não é?

Aqui estão algumas das coisas que provam que nem tudo neste mundo é perfeito. Nem mesmo o ECDIS!

CONTRAS

1. Excesso de Confiança: Com um equipamento aparentemente à prova de idiotas, há uma tendência dos navegadores confiarem demais nele. As consequências podem ser desastrosas. De vez em quando você vê um erro provocado pelo Segundo Oficial de Náutica no ECDIS. A capacidade e a necessidade de se manter uma vigia adequada não precisa ser aqui enfatizada. Não importa o quão bom o ECDIS seja, seu desempenho ainda depende muito do que é inserido. Um navio pode desligar seu AIS e, portanto, pode não ser mais exibido no ECDIS. Se a Sobreposição da Imagem Radar não estiver ativada, o navio simplesmente não será visualizado na tela do ECDIS. Portanto, é crítico que os Navegadores continuem a manter uma vigia eficiente e uma boa atenção ao radar. O propósito do ECDIS é facilitar uma navegação eficiente, não substituí-la. Ainda é de vital importância a prática de habilidades essenciais, como as Marcações e Plotagens no Radar, Erros e Desvios das Agulhas, etc. que serão úteis no cado do mal funcionamento do ECDIS. Além disso, é muito importante seguir os procedimentos da companhia no caso de uma falha do ECDIS.

2. Displicência: O ECDIS, no final do dia, é uma máquina e depende apenas do tipo de informação que recebe. O recebimento de informações incorretas da posição oriunda do GPS ou a perda do seu sinal podem ter graves consequências com o ECDIS entrando no modo DR (Navegação Estimada). Se o alarme for esquecido, o resultado pode ser desastroso. Portanto, é de vital importância verificar o desempenho dos sensores e realizar comparações frequentes entre os meios primário e secundário de obtenção da posição. Outras informações recebidas pelo ECDIS, como a Giroscópica, Anemômetro, Ecobatímetro, Navtex, etc. devem ser frequentemente verificadas, individualmente, para garantir uma operação confiável.

3. Configurações Incorretas: A inserção de parâmetros incorretos para as configurações críticas de segurança, como Profundidades de Segurança, Contornos de Segurança, etc. pode dar uma falsa sensação de segurança. É extremamente importante que o próprio Comandante verifique essas configurações sempre que forem alteradas. Essas configurações devem ser protegidas por senha e todo Navegador deve sempre verificá-las antes de assumir o serviço de quarto de navegação. Os alarmes não devem ser desativados sem que haja uma razão muito forte para isso, e nunca apenas para evitar alarmes frequentes. Todos os alarmes em uso devem ser devidamente documentados e sua ativação ou desativação devem ser controladas por um procedimento definido.

 4. Surdez de Alarme: Se os alarmes começarem a disparar com muita frequência, o navegador poderá acabar em uma situação perigosa chamada Surdez de Alarme. Isso leva o oficial de serviço a reconhecer o alarme mesmo sem verificar seu motivo. Ele eventualmente poderá não ter sorte e se deparar com uma ocasião onde ele perderá um alerta crítico, como a aproximação de um Contorno Raso. Portanto, os alarmes devem ser cuidadosamente escolhidos, adequados às condições reinantes. Cada alarme deve ser verificado e investigado antes de ser silenciado/reconhecido.

5. Atraso do Sistema: Um moderno programa de ECDIS pode ter diversos dados para exibir. E com vários equipamentos a ele conectados, o sistema pode desacelerar com muita facilidade, levando ao seu atraso. O equipamento físico precisa acompanhar o programa e são necessárias frequentes atualizações. Uma RAM maior e uma placa de processamento gráfico de alto desempenho são uma obrigação.

6. Diferentes Tipos: A navegação em cartas náuticas impressas era uma habilidade que precisava ser dominada apenas uma vez. Era então apenas a prática da rotina que mantinha alguém em sintonia com as coisas. No entanto, isso não acontece com o ECDIS. Navios diferentes possuirão tipos deferentes de equipamento ECDIS. Mesmo que os recursos essenciais sejam os mesmos, Mesmo que os recursos essenciais sejam os mesmos, ainda é preciso muita prática até alguém se sentir confortável com a máquina. Com a agenda do navio lotada hoje em dia, não é incomum que a passagem de serviço seja feita na escada de portaló. É então deixado para que os próprios colegas a bordo se familiarizem com os diversos equipamentos. Para superar esse problema, muitos Estados da Bandeira tornaram obrigatório que todo aquaviário se submetesse a um treinamento no tipo específico de ECDIS antes de embarcar no navio. O treinamento no Tipo Específico deve ser ministrado pelo fabricante do equipamento e não pode ser substituído pelo treinamento a bordo feito pelo Comandante. Logisticamente, é extremamente difícil para todo navegador se submeter a esse treinamento para um tipo específico, especialmente quando há a necessidade de embarcar por um curto período de tempo. Uma solução alternativa é que muitas companhias decidiram selecionar um único fabricante de Equipamento para fornecimento a toda a sua frota com ECDIS. (Por exemplo, a Maersk Tankers escolheu a TRANSAS como seu fornecedor). Isso reduz consideravelmente o gargalo do treinamento.

7. Anomalias: Todo navegador precisa estar ciente das anomalias presentes nesse equipamento específico. Pode ser um simples uso da função SCAMIN (Escala Mínima) ou algo sério, onde determinadas profundidades ou símbolos podem não estar visíveis em uma escala específica ou aparecer de forma diferente. A familiarização completa com o equipamento ECDIS é uma obrigação.

8. Sobrecarga de Informações: É muito fácil sobrecarregar o ECDIS com informações. Muitos dados que anteriormente eram marcados nas cartas náuticas impressas, tais como a posição para chamar o Comandante, avisos à Praça de Máquinas, pontos para quando ligar o Ecobatímetro, canais VHF do Controle do Porto, etc. agora precisam ser alimentados no ECDIS. O usuário precisa estar ciente que algumas dessas informações podem ser perdidas na confusão de informações já presentes no ECDIS. Telas maiores do ECDIS e melhor uso da cópia impressa do Plano de Viagem devem ser usados como solução alternativa.

9. Resistência à Mudança: Embora isso pareça um problema trivial, pode ser bastante problemático. A maioria dos navegadores atuais cresceu em uma época em que as cartas náuticas impressas eram o único meio de navegação. Não tê-las a bordo poderia significar para eles não ter uma ajuda em que confiaram a vida inteira. A transição pode não ser fácil e criar um bloqueio mental em muitos. Por isso, é vital que os navegadores mais experientes adotem essa nova tecnologia com os braços abertos e façam a sua parte para melhorar o processo de mudança. As companhias de navegação, os Estados da Bandeira e os Institutos de Treinamento precisam identificar esse problema e incentivar os aquaviários experientes a frequentar cursos de atualização mais vezes.

Tudo dito e feito, o ECDIS está aqui para ficar. Este é o futuro e não se pode apenas desejar que ele vá embora. Como diz o ditado,” se você não pode vencê-los, junte-se a eles”. É do interesse de todos os navegadores participar do movimento ECDIS. Não se pode contestar que, mesmo com todas as suas loucuras, o ECDIS é um equipamento fantástico e veio para ficar.

Agora é com você...